Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



quarta-feira, 1 de abril de 2015

O Poder dos Quietos-

                                                                                   
                  

Com bons argumentos, excelente pesquisa e histórias reais, O Poder dos Quietos  questiona os valores  no mundo de hoje no qual o potencial de liderança dos introvertidos é negligenciado. 
De modo inspirador, nos oferece inestimáveis conselhos sobre como é possível tirar vantagem da timidez.
O Poder dos Quietos contempla também as crianças introvertidas, em capítulo especial com dicas para pais e professores.
Em um estudo realizado com bebês, onde se buscou identificar se quando adultos tais crianças seriam introvertidas ou extrovertidas, as crianças foram expostas a diversas situações com iluminação, sons e contato com pessoas desconhecidas. Os que mais reagiram aos estímulos tendiam a se tornarem adultos introvertidos e os  menos reativos e mais quietos tendiam a serem mais autoconfiantes e extrovertidos.
Ela apresenta a ideia de que a nossa personalidade é mutável até determinado ponto, pois muitas características  vêm do nosso temperamento, que é determinado biologicamente.

Como ponto de partida do livro, a autora retrata um acontecimento marcante no Alabama, Estados Unidos, em 01 de dezembro 1955 época de grandes tensões devido à segregação entre negros e brancos.  Nesse dia uma mulher chamada Rosa Parks, para surpresa de todos, se recusa a ceder seu lugar no ônibus para um branco. Rosa é presa, mas seu ato foi decisivo para o movimento contra o preconceito nos EUA. Susan deixa claro que sempre imaginou que Rosa Parks fosse uma mulher imponente, de temperamento ousado, mas o que se dizia sobre ela é que  uma mulher tímida e reservada, mas muito corajosa. Com essas informações, Susan traz dois questionamentos: “Por que o quieto não deveria ser forte?” “O que mais os quietos podem fazer a que nós não damos crédito?”.
 A autora põe em xeque o culto a extroversão ao relatar que algumas das maiores ideias e invenções da humanidade vieram de pessoas introvertidas, como Albert Einstein, Isaac Newton, Frédéric Chopin, Bill Gates, entre outros.
Apresenta como os norte-americanos no inicio do século XX constituíram a grande virada em que o “Culto ao Caráter” (comportamento, disciplina, seriedade e honra) deu lugar ao Culto à Personalidade (onde o homem passou a se preocupar em como os outros o viam e a ter atração pelos ousados).
Retrata a liderança carismática apontando que não existe uma liderança que seja melhor que a outra, mas que essas lideranças devem ser colocadas em prática de acordo com o tipo de situação que se apresenta e das características dos liderados.
A autora apresenta ainda  a ideia de que em situações onde a criatividade e a eficiência são as prioridades, o trabalho individual funciona melhor e nos apresenta os exemplos da Wikipédia e do Sistema Linux, como resultados do trabalho individual de uma rede de introvertidos.
Com grandes conhecimentos acerca dos acontecimentos  relacionados com a temática do livro, a autora apresenta de forma clara as circunstâncias e características que cercam o mundo dos introvertidos, nos mostrando uma contextualização histórica e experimental onde o objetivo não é rotular e sim aceitar nossas características e fazer o nosso melhor com isso.
 Erroneamente, o livro parece em um primeiro momento, ser técnico e pode até mesmo ser confundido com autoajuda, mas é um livro interessantíssimo que tem o poder de mudar a maneira como os tímidos e introvertidos se veem e, talvez mais importante, como as outras pessoas os veem, além de  trazer uma mudança na forma como as pessoas vêm o mundo.
Por fim, outro aspecto  importante na obra é fato de que não há a afirmação da existência de superioridade entre os indivíduos introvertidos ou extrovertidosm mas sim mostra que ambos podem interagir em diversos ambientes. 
Com uma abordagem rica e uma linguagem agradável, "O poder dos quietos”  é um livro que pode ser apreciado pelos mais diversos públicos como jovens (introvertidos e extrovertidos), pais, educadores e demais interessados em fazer essa viagem literária.
É o tipo de livro que deve ser degustado e guardado para futuras consultas.


Abraços Literários e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário