Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Reviravolta de Michael Connely-


                                                                                


O escritor norte-americano Michael Connely coloca dois de seus principais heróis lado a lado em “Reviravolta”, que vem sendo apontado como seu melhor romance.
O divertido e destemido detetive Harry Bosh e o advogado Mickey Haller – este vivido pelo ator Matthew McConaughey na adaptação para o cinema, “O Poder e a Lei”.
Reviravolta segue as tendências sombrias apresentadas em “O Espantalho”, cujo vilão é um indivíduo atormentado psicologicamente.
Tudo começa quando uma garota de 12 anos é assassinada. Duas décadas depois, uma prova que utiliza DNA é apresentada pelo sujeito incriminado pelo assassinato como tentativa de defesa, o que provoca a reabertura do caso. Daí o nome do livro.
Nada é simples em Connely, e, por isso mesmo, suas histórias são tão intrigantes. É difícil largar o livro antes do fim.


 Abraços literários.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Café com leitura na rede-


                                                                                   


Olha só que delícia de alfabeto!
Letras, letras e mais letras para  VCS saborearem aqui no nosso cantinho Café com leitura na rede!

Uma palavra que vem a sua cabeça ??????????
Qual seria ????


Abraços literários.


sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Café com Leitura na rede-


                                                                                 


Olha só que combinação mais legal ????????????????
Estante em formato de xícara !!!!
A soma de três  grandes paixões:  Café+livros+decoração=Café com Leitura na rede.


Abraços literários.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

O Tigre na Sombra de Lya Luft-


                                                                              


De volta ao romance, autora constrói trama delicada em linguagem simples-

Lya Luft não escrevia um romance desde O Ponto Cego, lançado em 1999. Ao longo desses 13 anos, ela lançou um livro de contos (O Silêncio dos Amantes, 2008) e se consolidou como uma autora de imensa notoriedade, especialmente por criar pequenos ensaios que, graças à sua forma predileta de se dirigir ao leitor (direta e coloquial), não apenas revelam suas perplexidades como  também  focam o drama existencial humano.
Agora, Lya retoma a escrita de fôlego com O Tigre na Sombra, delicado romance sobre Dolores, DÔda,  que, ao nascer com uma perna mais curta, luta para vencer as barreiras sentimentais e pessoais impostas por essa particularidade. Ao seu redor, circulam a irmã Dália, linda e com destino desastroso; a mãe, que vive a exaltar as dificuldades de DÔda; o pai, carinhoso mas um homem atormentado; e a avó, Vovinha, que oferece tranquilidade nos momentos mais atribulados.
Tímida, DÔda projeta na imagem que vê no espelho a mulher perfeita que gostaria de ser. Acredita também na presença de um misterioso tigre de olhos azuis.
Lya revela seu cuidado com a escrita. Raramente escreve em ordem cronológica, mas em espirais ou fragmentos, que compõe depois. Busca a linguagem simples e sofisticada, clara, mas não banal, a fala íntima com o amigo imaginário, o leitor, e com ela mesma. Gosta de palavras, frases: são como caramelos, flores, borboletas. Escrever para ela é um estado de felicidade e harmonia.
Bem ao seu estilo, a autora elabora um universo repleto de mistério. Ronda o mistério. O tigre de olhos azuis é o enigma enfim.
No fundo importa saborear frases, palavras, história, vida e morte, conflito e ternura, claridade e noite.
Os  personagens reais são de fácil identificação. A obra é arrematada com um final inesperado ... a última frase do livro: Nenhum tigre tem olhos azuis ...


Já leu alguma obra da autora ????
Gostou ??? Qual sua impressão ???
Comente.

Abraços literários.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

A Janela Quebrada de Jeffery Deaver-


                                                                                    


“A Janela Quebrada” é a nova obra de Jeffery Deaver, escolhido pelos herdeiros de Ian Fleming para continuar a saga de James Bond.
A sugestão de hoje simboliza o gênero que marcou o ano passado: o policial.
Os livros de mistério estão entre os favoritos de muitos leitores.
“A Janela Quebrada”, do mesmo autor de “O Colecionador de Ossos”, obra que deu origem ao filme de 1999 com Angelina Jolie e Denzel Washington.
O herói, aliás, é o mesmo vivido pelo astro de Hollywood na produção: o rabugento e perspicaz detetive Lincoln Rhyme, que sofreu um acidente na cena de um crime.
A nova história é uma clara crítica à superexposição a que estamos sujeitos com a banalização da utilização desenfreada das redes sociais. A trama começa quando Arthur Rhyme, primo de Lincoln, é preso por um crime que jura não ter cometido.
As provas contra ele, contudo, são incontestáveis, mostrando que alguém o conhecia o suficiente para fazer um bom trabalho a fim de incriminá-lo. Logo o criminologista, sua namorada e sua equipe se veem à caça de um psicopata que assassina e planta provas para convencer a polícia e o júri de que um inocente é o culpado.


Até a próxima.
Abraços literários.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

A Confissão da Leoa de Mia Couto-


                                                                                  


O dia a dia de uma aldeia africana que sofre com ataques fatais e misteriosos de leões da savana-

Embora seja o maior e mais expressivo deles, o Brasil não foi o único país colonizado por Portugal. Na África, há outras seis nações que têm a língua portuguesa como principal idioma: Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe e Moçambique. Foi nessa última que nasceu o escritor Mia Couto, um dos mais importantes autores do seu continente. Sua sensibilidade e honestidade para retratar o cotidiano dos africanos dão o tom da intrigante história de A Confissão da Leoa.
Em tom de fábula, o romance conta a história de uma aldeia em Moçambique que vira alvo de leões provenientes das savanas. O fato é baseado em uma experiência vivida por Mia Couto em 2008. Também biólogo, o escritor, na época, fazia parte de uma expedição de estudos ambientais no norte do país, onde pessoas estavam sofrendo ataques leoninos mortais.
O livro alterna as narrações de um caçador e de uma moradora da aldeia e fala abertamente de algumas tradições no mínimo polêmicas que revelam uma vida obscurecida por formas de opressão política, social e sexual, obsessão, traição e assassinato. Tudo bem real, nada exótico.


Adoro livros e filmes sobre as savanas!
E VCS ????????


Abraços literários.

sábado, 9 de fevereiro de 2013

O canto dos excluídos-


                                                                                  


Se VC não vai cair na folia, que tal  desfilar  pelas páginas de um excelente livro e fazer desse um  Carnaval Literário com nota 10 no quesito enredo ??????
Nossa sugestão é um clássico que ao completar 150 anos continua atualíssimo! 
Único musical a figurar entre os concorrentes ao Oscar deste ano, que acontece no dia 24 de fevereiro, o filme “Os Miseráveis”, que estreou nos cinemas e conta a história de um ex-prisioneiro vivido por Hugh Jackman, teve 8 indicações.
A história se passa na França do século 19, durante a Revolução Francesa,  e mostra o embate entre o prisioneiro Jean Valjean (Hugh Jackman) e o policial Javert (Russel Crowe).
Depois de ficar preso durante 19 anos fazendo trabalhos forçados, por ter roubado um pão, Valjean é solto, mas tem que carregar o peso de ser um ex-prisioneiro.
Depois de perambular pelas ruas, consegue hospedagem na casa de um bondoso monsenhor. No entanto, foge de madrugada, furtando pratarias da casa.
Preso pela polícia, é levado ao monsenhor, que afirma que as pratarias foram um presente seu para Valjean. Diante da bondade do religioso, ele resolve mudar de vida e aí se desenrola  a história de quem recebeu o bem e quer fazer o bem.
Alguns anos se passam, e ele se torna um homem bem-sucedido, dono de uma fábrica. Nela trabalha Fantine (Anne Hathaway), que é demitida por ter uma filha. Um dia, o destino dos dois se cruza, e o empresário promete cuidar da filha de Fantine, Cosette (Isabelle Allen).
Após esconder sua identidade por anos, Valjean vê sua liberdade ameaçada  por Javert, que reconhece o ex-presidiário. Ao mesmo tempo, uma revolta começa na França, e a jovem Cosette, a quem Valjean trata como filha, se apaixona pelo revolucionário Marius (Eddie Redmayne).
O filme é dirigido  por Tom Hooper, que ganhou o Oscar por “O Discurso do rei” (2010).
Os Miseráveis, levou prêmio em três categorias do globo de Ouro e concorre a melhor filme e em outras sete categorias no Oscar, com destaque para Hugh Jackman (melhor ator) e Anne Hathaway (melhor atriz coadjuvante).
As músicas são majestosas e a produção, embora não consiga traduzir toda a riqueza de detalhes do livro, é fantástica.
O roteiro foi adaptado da peça de mesmo nome, que já foi vista por mais de 60 milhões de pessoas em 42 países. O espetáculo por sua vez, surgiu a partir do livro de 1862 do escritor Victor Hugo (1802-1885), consagrado em vida, cuja extensa obra vai do teatro à poesia, da ficção aos ensaios políticos.

A trama, mais atual do que nunca,  retrata a dualidade da vida.
Experiências dolorosas podem endurecer os sentimentos. O que é uma pena. Porque  tem por aí muita gente, que cultiva os bons princípios e respeita a si mesmo e ao próximo.
Essa é a grande lição da prática do amor. Ontem, hoje e sempre.
Emocione-se!

Abraços literários.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Que livro é você ?????


                                                                                   


Se você fosse um livro nacional, qual livro seria? Um best-seller ultrapopular ou um relato intimista? Faça o teste e descubra.

Saciando minha fome de livros me deparei com um teste diferente. Fiquei curiosa, pois o teste iria me dizer que livro sou eu .
O  site é da Abril e o teste está na seção "Educar para crescer" que é um movimento de longo prazo e sem fins lucrativos, que conta com o apoio do Ministério da Educação e com a força do Grupo Abril para estimular boas práticas e destacar a importância da educação para o crescimento do Brasil e de seus cidadãos.

O nome do teste é: “Que Livro Você é?”.
São 10 perguntas e algumas vocês podem até achar sem noção, que não tem nada a ver com o mundo literário,  mas de algum modo contribui para o resultado.
O resultado  é um livro Nacional.
Fiz o teste e o livro que sou é:

“A paixão segundo GH ”, de Clarice Lispector

Você é daqueles sujeitos profundos. Não que se acham profundos – profundos mesmo. Devido às maquinações constantes da sua cabecinha, ao longo do tempo você acumulou milhões de questionamentos. Hoje, em segundos, você é capaz de reconsiderar toda a sua existência. A visão de um objeto ou uma fala inocente de alguém às vezes desencadeiam viagens dilacerantes aos cantos mais obscuros de sua alma. Em geral, essa tendência introspectiva não faz de você uma pessoa fácil de se conviver. Aliás, você desperta até medo em algumas pessoas. Outras simplesmente não o conseguem entender.
Assim é também "A paixão segundo GH", obra-prima de Clarice Lispector amada-idolatrada por leitores intelectuais e existencialistas, mas, sejamos sinceros, que assusta a maioria. Isso, porém, nunca anulará um milésimo de sua força literária. O mesmo vale para você: agrada a poucos, mas tem uma força única.
Sou uma singularidade (risos).

E VC ???
Faça o teste e corre pra cá compartilhar conosco na rede e tomar um café delicioso.

Abraços literários.