Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



domingo, 20 de dezembro de 2015

Caneca Literária #28: Sob o Sol da Toscana-

                                                                                 


A Caneca Literária de hoje é para VCS que amam um bom filme, especialmente se é uma excelente adaptação literária para as telonas,  em um cenário de tirar o fôlego e com bons diálogos.
E já que estamos no final do ano, veio bem a calhar, já que é uma interessante referência a fé, a esperança e aos recomeços.
Vamos viajar com a Frances, Sob o Sol da Toscana-
                                                                                 


                                                                               



Sinopse do livro-
Frances Mayes, exímia narradora de viagens e amante da gastronomia, nos apresenta o incrível mundo que descobriu quando comprou e reformou uma casa de campo abandonada no interior da Toscana. Com uma linguagem sensual e evocativa, ela faz com que o leitor a acompanhe à medida que vai descobrindo a beleza e a simplicidade da vida na Itália. Seguindo a tradição de turistas famosos em visita à Toscana, ela refaz passeios de D.H. Lawrence e Henry James, e consulta o poeta Virgílio. Tão talentosa na cozinha quanto ao escrever sobre vinhos e culinária, Mayes também cria dezenas de deliciosas receitas sazonais, todas elas incluídas neste livro.
Ao fazer pela Toscana o que M.F.K. Fischer e Peter Mayle fizeram pela Provence, Mayes fala das singularidades e prazeres de um país estrangeiro com entusiasmo e paixão. Uma enaltação da extraordinária qualidade de vida da região, "Sob o Sol da Toscana" é um banquete para todos os sentidos, e, como tal, foi consagrado nas listas de mais vendidos de todo o mundo e adaptado com enorme sucesso para o cinema.
                                                                               


Sinopse do filme-
Frances é uma bem sucedida escritora que após o divórcio perde a motivação pela vida e pelo seu trabalho. Para lhe ajudar a sair da depressão, Patti, sua melhor amiga, a presenteia com uma excursão de 10 dias pela Toscana, com a esperança de afastá-la daquela vida inerte. Envolvida pelo encanto e romantismo do lugar, Frances, num gesto impetuoso, acaba comprando uma casa abandonada há mais de 30 anos. Em péssimo estado de conservação, o lugar é conhecido como Bramasole. Em meio ao processo de restauração da casa, ela experimenta a adaptação na nova morada, sua busca por si mesma, pela felicidade e, é claro, por um novo amor. Entre paixões e desilusões, questionamentos, novas amizades e novos costumes, ela vai se encontrando, voltando a sorrir, a amar e a viver.

Um psicólogo em forma de cenas!
 A reforma que é necessária para o recomeço. O encontro com o “Sagrado”, quando Frances descobre na imagem da Virgem Maria, um apoio, uma proteção, uma companhia. A fonte (na história do livro), que no filme é uma torneira no interior da casa, é uma metáfora para a vida que precisa fluir naturalmente em abundância.
A citação sobre os trilhos dos Alpes, que fala de fé, de acreditar, de ter coragem… “Dizem que assentaram os trilhos nos Alpes entre Viena e Veneza antes que houvesse um trem para fazer o trajeto, mas mesmo assim construíram, eles sabiam que um dia o trem chegaria”. E não menos importante, a joaninha, que na Ásia é um símbolo de sorte e amor. “Eu vivia procurando joaninhas e não as encontrava. Um dia adormeci na grama e quando acordei estava coberta de joaninhas, um monte delas!” E a joaninha de Frances aparece em seu braço no final do filme trazendo a promessa de novos tempos, novos projetos e novos amores.

Procurar seu Lugar ao Sol ... O Astro Luz, símbolo de Deus e para alguns povos antigos a própria divindade, mas independente de religiosidade é a possibilidade de vida em nosso planeta, portanto equivale a busca pela própria existência.
Neste filme temos a história de uma mulher que é lançada em um momento de trevas, mas  toma uma decisão e parte em busca da luz.
                                                                                 


‘BRAMASOLE’!
Brama = Bramar, aspirar, desejar intensamente
Sol = Sol
DESEJAR O SOL!
É preciso BRAMASOLE  e este é o grito central  reforçado pelo movimento, não só da nossa protagonista, como de cada personagem.

Interessante relembrarmos que Frances é crítica de literatura, e que sua crítica negativa a um livro lhe joga luzes sobre uma traição, e  da mesma maneira, no final do filme, quando ela vive um novo momento em sua vida, outra crítica sua atrai para si o amor!!

A aceitação plena do novo exige a ruptura com o passado. No filme há uma cena que representa bem este momento: Frances chega em casa com muita raiva e em um acesso de fúria quebra o pequeno vaso azul que era a única peça que havia trazido de sua antiga casa.
O que nos leva a um questionamento interessante: O que em sua vida seria este pequeno vaso azul que você carrega como uma preciosidade?
Neste caminho da transformação o enredo do filme vai nos apresentando e presenteando com alguns símbolos.
A Reforma- Após comprar a casa nossa personagem se dedica a uma audaciosa reforma. A reforma da casa caminha na mesma proporção em que a reforma interna é realizada.
O Número Três- Em vários momentos do filme o três ou alguma de suas personificações estão presentes.
A mudança de Frances se resume a três caixas. A casa que ela compra tem três séculos de existência e possui três quartos. São três pedreiros trabalhando na reforma. São três os homens de sua vida (o marido, o amante, e o novo amor). São três preces feitas em seu quarto para a imagem da Virgem Maria na cabeceira de sua cama. O Três tem uma grande importância simbólica de união e equilíbrio em nossa vida, em vários níveis: Condição Humana (corpo, alma, espírito); Espiritualidade (Trindade Santíssima); Imaginário (três mosqueteiros; três porquinhos; três reis magos); etc.
O Encontro com o Sagrado- Para uma alma que se encontra abatida e perdida na vida, o encontro com a Divindade é sem dúvida um momento muito significativo.
No filme este encontro ocorre no momento em que ela descobre na imagem da Virgem Maria, o apoio, a proteção e a companhia..
A Fonte- No filme a fonte é representada pela torneira que se encontra no interior da casa.
Quando Frances entra na casa pela primeira vez, esbarra na torneira como quem não a vê. Ela está tão perdida em relação a si mesma e ao que deseja que não percebe a fonte externa assim como não reconhece sua fonte interna de vida.
Em um segundo momento  ela abre a torneira, mas constata que está seca. É preciso este reconhecimento de que a fonte está seca, pois sem esta consciência não haverá chance de transformação. Só quando percebo a falta posso incluir como parte da minha ‘reforma’ a revisão dos ‘encanamentos’!
Depois temos a torneira pingando água. Onde a água que pinga anuncia que a vida poderá fluir novamente em breve.
E no final do filme temos a bela cena da torneira totalmente aberta inundando a sala com água abundante. Enfim a vida flui naturalmente e segue o curso da saúde, ela flui sem impedimentos e anuncia a alegria e a plenitude!
A Joaninha-  “Eu vivia procurando joaninhas e não as encontrava. Um dia adormeci na grama e quando acordei estava coberta de joaninhas, um monte delas!”
A joaninha é um símbolo da sorte e do amor. No simbolismo cristão, a joaninha é frequentemente associada com a Virgem Maria. Neste referencial simbólico ela está associada a ideia de Proteção. Em inglês, a joaninha é chamada de ‘beetle of our lady’, ‘besouro de Nossa Senhora’. Esse nome teve origem na Idade Média, quando os agricultores pediram à Virgem Maria para salvar suas lavouras. Então, elas apareceram e  destruíram as pragas, atendendo ao pedido dos fiéis.
A presença da Joaninha no braço da Frances no final do filme é a confirmação de que enfim chegaram a sorte, a felicidade, a proteção, a amizade, o amor!
Mas o mais importante: só quando ela reclina para descansar é que a joaninha pousa!
“Coisas inesperadamente boas podem acontecer até no último momento. É uma surpresa e tanto!” (uma das últimas falas de Frances no filme)
Abertura para o Nov0- Os Trilhos dos Alpes
“Dizem que assentaram os trilhos nos Alpes entre Viena e Veneza antes que houvesse um trem para fazer o trajeto, mas mesmo assim construíram, eles sabiam que um dia o trem chegaria”.
Uma dose extra de coragem, uma porção de loucura, envolvidos pela energia da fé, e com certeza nossos investimentos aparentemente mais insanos poderão ser altamente recompensados!
Caminhemos com a certeza de que estes símbolos/presentes podem nortear nossa busca, reforçar nossa coragem, aguçar nosso desejo, e que no caminho o Sol será sua luz guia, mesmo em período de profundas sombras internas!
Que a cada dia possamos  caminhar para as grandes resoluções e para as grandes realizações.
                                                                                


Um filme singelo, delicado, poético, reflexivo e principalmente inspirador, em locações de tirar o fôlego e com diálogos de romper barreiras!
                                                                               


Recomendadíssimo!

Abraços Literários e até a próxima.


Um comentário:

  1. Esse filme eu assisti, é realmente é um lindo filme!
    Uma indicação maravilhosa!

    Bjos
    Minda ❤ 😍

    ResponderExcluir