Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

A Arte das Capas #23

   
                                                                             

A capa de livro é a identidade visual de uma obra literária. Uma nobre embalagem, que desperta os sentidos, desejos, sonhos e emoções, e tem muita história para contar...
A Arte das Capas é a coluna em que mostramos  livros e suas capas.
Bacana pra que vocês conheçam novos livros e novas capas também, já que temos  certeza que muita gente, assim como nós, adora capas de livros!

Nesse mês a obra escolhida é O Começo do Adeus, da autora Anne Tyler. 

Sinopse: O Começo do Adeus é um romance sábio, assustador e profundamente tocante, que conta a história de Aaron, um homem de meia-idade, desolado pela morte da esposa, que tem melhorado gradualmente com as aparições frequentes da mulher - em casa, na estrada, no mercado. Com deficiência no braço e na perna direita, Aaron passou a infância tentando se livrar de sua irmã, que adorava mandar nele. Então, quando conhece Dorothy, uma jovem tímida e recatada, vê uma luz no fim do túnel. Eles se casam e tem uma vida relativamente modesta e feliz. Mas quando uma árvore cai em sua casa, Dorothy morre e Aaron começa a se sentir vazio. Apenas as aparições inesperadas de Dorothy o ajudam a sobreviver e encontrar certa paz. Aos poucos, durante seu trabalho na editora da família, ele descobre obras que presumem ser guias para iniciantes durante os caminhos da vida e que, talvez para esses iniciantes, há uma maneira de dizer adeus.

Li muitas resenhas negativas sobre o livro, então eu o li despretensiosamente, sem nenhuma expectativa.
E me surpreendi com a leitura.
Para começar o livro tem poucas páginas, dá para ler de uma sentada, e as folhas amareladas, que conferem conforto visual,  e o ótimo tamanho das letras garantiram uma leitura fluída, apesar de que em alguns momentos a narrativa se torna um tantinho  repetitiva.
O grande problema, creio, foi a sinopse ter vendido algo como um romance sobrenatural, que não é definitivamente o caso, já que não fica claro, se o nosso protagonista vê mesmo a esposa ou se é uma espécie de “loucura” no período do luto.
Também não é uma leitura para jovens, nem posso dizer que é um daqueles livros para pessoas de qualquer idade. É um livro para adultos.
 Aaron tem uma deficiência no braço e pernas direitos, e sempre foi super protegido pela mãe e a irmã.
Ele trabalha na editora da família que tem o esquema de publicação independente especializada no conceito para iniciantes: Guia de Vinhos para Iniciantes, Treinamento de Cães para Iniciantes, Orçamento Mensal para Iniciantes ...
É natural que ao conhecer Dorothy, uma bem sucedida, excêntrica e bastante pragmática médica, ele se apaixone. Eles se casam quatro meses depois e levam uma vida aparentemente (in)comum, até que uma árvore cai em sua casa e Dorothy morre.
Algum tempo depois Aaron passa a “ver” a esposa e suas aparições o ajudam a encontrar certa paz.
Mas o livro é mais que isso!
Seu mote é o da recíproca, do diálogo e do entendimento.
Só que para compartilhar e conviver é preciso antes conhecer a si mesmo.
Aaron tem uma personalidade forte e ele não quer ser tratado como inválido. Assim muitas vezes  ele é bastante desagradável com quer ajudá-lo. Ele simplesmente não conseguia ouvir Dorothy, quanto mais dialogar.
O clímax da obra é a descoberta de que o casamento deles (apesar de se amarem) não era feliz.

Quote: Porque nosso casamento era tão infeliz?
Porque era infeliz, sim. Fora de sincronia. Sem coordenação.
Parece que nunca tínhamos aprendido a ser um casal como os outros.
(página 181)

Os personagens secundários, bem construídos, também carregam uma dose extra de complexidade. Nandina, Luke, Peggy, Charles e o meu favorito Gil Bryan.
O final é fofinho, mas infelizmente rápido demais e meio que óbvio.

A capa é um capítulo a parte ... não encontrei relação com o livro :p
Pensei que pudesse ser um dos livros de medicina de Dorothy, o vestido com rendas de Peggy ou até um dos livros da editora Woolcott: Como dizer adeus para iniciantes.

                                                                           


As outras capas têm mais a ver: A capa com as  duas xícaras representam o quanto Aaron e Dorothy eram diferentes, e a capa florida tanto representa o jardim da casa de Aaron quanto “o arbusto borboleta com seus ramos e flores de um roxo vibrante (página 180)”.

                                                                               



Uma narrativa extravagante, excêntrica e reflexiva, com personagens reais, críveis, prováveis e comuns (e com seus defeitos vistos sob uma lente de aumento) em uma premissa, que apesar de não ser inédita, traz bem representado o ponto de vista de um viúvo, sua dor, resiliência, redenção, recomeço e emoção na medida exata.

Recomendado para o público adulto que procura emoção em uma história tocante.

E aí, qual das capas vcs gostaram mais ???????

Abraços Literários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário