Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Filhos da Guerra- Generation War


                                                                           

Para lembrar os 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial e com a intenção de mostrar a posição do alemão comum frente ao Nazismo, foi apresentada a série alemã Generation War (Filhos da Guerra), vencedora de 18 prêmios internacionais, inclusive o International Emmy de 2014 na categoria Melhor Minissérie.
Somos apresentados e acompanhamos a vida de cinco amigos, Greta, Viktor, Wilhelm, Friedhelm e Charlotte, os personagens centrais,  que em um último encontro antes do irem para  a guerra combinam de se reencontrar no Natal de 1939, sem imaginar que a guerra duraria até 1945. 
 Os jovens tem suas vidas alteradas tomando diferentes rumos durante esses anos todos o que torna o reencontro deles cada vez menos improvável.


Greta é uma jovem alemã que quer ser cantora e namora com Viktor, um alfaiate judeu. De personalidade interessante, ela nos é apresentada num primeiro momento como uma jovem fútil. No transcorrer da trama ela se torna amante de um agente da S.S. para ser famosa, mas principalmente para conseguir passagens e visto para ajudar seu namorado a fugir.
É uma personagem cujo amadurecimento durante a trama  é notável e emocionante.
Charlotte é a enfermeira de personalidade tímida e um tantinho insegura, que denuncia uma enfermeira quando descobre  que a outra é judia, não consegue conviver com esse ato e arrependida, se torna amante do médico-chefe com o intuito de ajudar os soldados feridos a voltarem para seus lares, não retornando ao front.
Charlotte é apaixonada pelo major Wilhelm, de personalidade forte e de caráter incorruptível que apresenta uma evolução durante a trama que envolve, instiga e emociona. Wilhelm  nos é apresentado como um oficial cumpridor de suas obrigações e por quem os subordinados tem adoração. Procurando sempre o melhor em termos de realização e também buscando ser justo ele passa a se questionar sobre a legitimidade da guerra até que num embate com a própria consciência se torna desertor.
Wilhelm tem um irmão mais novo também soldado, Friedhelm. Entre todos Friedhelm é o personagem que mais se transforma durante a narrativa. Poeta e sensível ele diz que a guerra despertará o que há de pior em cada um deles. Obviamente, até porque não tem como ser diferente, isto se cumpre e ele mesmo se torna uma máquina de matar.
Por fim, temos Viktor que foge de um trem que o estava levando para um campo de concentração e se envolve com uma guerrilha de poloneses, fingindo não ser judeu e ajudando-os a conseguir armas e alimentos para sobreviverem. Até que ...
No decorrer dos episódios, acompanhamos as transformações pelas quais os jovens passam e as escolhas que eles fazem gerando conflitos na trama e a percepção de que todos em algum momento se tornaram anti-herois.
Fica evidenciado durante o transcorrer da trama que a Alemanha tentou “dividir” a responsabilidade com outros países, apontando o dedo para a Rússia e transformando a Polônia e a Ucrânia em antissemitas persistentes.
A diplomacia russa considerou a série inaceitável e os poloneses ficaram indignados pela maneira como foram retratados no filme.
A minissérie não tira a responsabilidade da Alemanha, não a justifica e nem mesmo traz o ineditismo, mas mostra que os alemães além dos crimes de guerra, também são responsáveis pelos alemães que morreram vítimas do próprio governo, com a destruição de seus patrimônios e com o julgamento dado pelo mundo.

 Um roteiro interessante, com boas atuações e o final surpreendente de alguns dos personagens.
                                                   
Recomendado se há interesse em temas  que abordam os ocorridos durante a Segunda Guerra Mundial.


Abraços Literários.


Nenhum comentário:

Postar um comentário