Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



domingo, 9 de abril de 2017

O Zoológico de Varsóvia-


O Zoológico de Varsóvia - A história do casal que corajosamente abrigou centenas de judeus durante os tenebrosos anos da ocupação nazista na Polônia.


Sinopse- Jan e Antonina Zabiński eram os encarregados do Jardim Zoológico de Varsóvia quando, no início da Segunda Guerra Mundial, a Alemanha invadiu a Polônia, e os bombardeios que destruíram a cidade mataram boa parte dos animais.
O casal passou, então, a esconder judeus nas jaulas vazias, aproveitando a obsessão dos nazistas por animais raros e com isso salvou mais de trezentas pessoas condenadas.

O casal Jan e Antonina Zabiński, o filho Ryś e a mãe de Jan residem em um casarão que dividem com diversos animais de espécies raras. Assim florescia um dos mais imponentes zoológicos do mundo, que abrigava ursos polares, elefantes africanos e linces naturais da única floresta intocada da Europa.
                                                                                  


Pessoas apaixonadas pelo mundo natural, os Zabinskis viviam completamente integrados com os animais sob sua responsabilidade.
No primeiro capítulo Antonina descreve o despertar dos animais com uma multipluralidade de sons que ela aprendera a identificar e registra em seu diário e Jan fazia vistorias diárias em sua bike acompanhado de um alce chamado Adam. É óbvia a natureza paradisíaca do local!

A narrativa nos remete a cidade onde pessoas pacíficas seguem suas vidas, onde Jan e Antonina seguem cuidando de diversos animais como membros da família, onde pessoas de religiões diferentes convivem harmoniosamente. Mas a Polônia estava no caminho de Hitler.
É impressionante a descrição da invasão alemã na Polônia em setembro de 1939 e dos eventos trágicos daquele mês feita  do ponto de vista de uma civil (Antonina).
São poucas as obras que chegam a um enfoque tão detalhado não das manobras militares, mas das consequências para uma pessoa comum.
Quem visse o local ficaria estarrecido com a destruição que sofrera num contraste com o paraíso de um mês antes.  
Nas palavras de Antonina, é inacreditável “essa barbaridade estar acontecendo em pleno século XX. Não faz muito tempo, o mundo olhava para a Idade Média com desprezo por sua brutalidade e, no entanto, aqui está ela de novo, em plena força, como um sadismo sem lei, não corrigido por nenhum dos encantos da religião e da civilização.”
Mesmo com todo o terror imposto pela ocupação das tropas nazistas, os Zabiński assumiram heroicamente o risco de salvarem a vida de trezentas pessoas condenadas e abrigá-las nos escombros do que fora seu zoológico, escondendo os refugiados nas jaulas dos animais agora vazias.
No livro, acompanhamos a luta de Antonina, dia após dia, para preservar a sua vida, de sua família e de seus “hóspedes”, e a luta de Jan para manter a confiança de pessoas influentes e com isso resgatar pessoas do gueto, assim como sua participação no Levante de Varsóvia em 1943.
Contada em uma narrativa informal e emocionante repleta de passagens sobre a alta periculosidade dentro dos limites do zoo, a história de coragem e sacrifício em nome da compaixão e amor ao próximo, independente da religião, impressiona pela ousadia e amplitude.
A autora insere ainda na trama narrativas secundárias, não menos emocionantes, como a de Irena, uma das pessoas salvas por Jan, e Janusz, que acalmaram um grupo de crianças às portas da morte em Treblinka.
Jan Zabinski.foi homenageado pelo governo israelense com o título de “Justo Entre as Nações”, e teve uma árvore plantada em sua honra no Memorial do Holocausto em Israel, em 1968.

                                                                              


Lançado em 2007 o livro marcou presença na lista de best-sellers do New York Times, e chega agora 27/04 (data prevista) às telonas com direção de Niki Caro, trazendo Johan Heldnberg como Jan, Jessica Chastain como Antonina e Daniel Brull como o nazi Lutz Heck

Um excelente livro que faz refletir sobre os caminhos que o ser humano traçou ao longo de sua existência. É imprescindível lembrar-se desse triste episódio para sabermos do que a humanidade foi capaz e de que não podemos permitir que aconteça nunca mais.
A obra é primorosa, misturando na medida exata tensão e emoção.
E por que não? Também momentos de alegria.
Super recomendado!

E vcs já leram o livro??
Vão conferir no cinema???


Abraços Literários e até a próxima.


24 comentários:

  1. Que história linda!! Vou procurar o livro para ler!
    Beijinho
    http://asreceitasdamaegalinha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Não li... mas já vai pra listinha, pois parece um livro e tanto.
    Não conhecia a história e tudo que remete a essa fase, me faz chorar. Sei não... enquanto viver, jamais vou me acostumar com a crueldade humana. A guerra é estúpida e triste. Vidas jamais deveriam ser rebaixadas às coisas...
    Obrigada por mais esta indicação... suspiros... tenho tanto pra ler... rsrsrs. No momento estou lendo o clássico Dom Quixote (finalmente!!!).

    Obrigada pelo carinho todo "fófis" rsrs com a placa dos Orelhudos Apaixonados e pois é... eu era (digo era...) muito desastrada e até hoje não entendi muito bem o que ocorreu rsrs. Mas, graças a Deus, tudo ficou perfeito: cirurgia, placas, parafusos, fisio... acho que a pior parte foi a fisio mesmo, mas venci com o Divino à frente.

    Um lindo dia pra vc e ótima semaninha!
    Abração esmagador.

    ResponderExcluir
  3. Não conheço esse livro. E olhe que tenho lido muito e acompanhado sites literários no Instagram e no YouTube.
    Mas foi bom saber que tem esse livro.
    Boa sua resenha.

    Rotolone é uma massa tipo rocambole. Compro pronta. Tambem chamam Rondele.

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia o livro e nem sabia do filme. Parece ser bem intenso, mas não é o tipo de literatura que gosto, principalmente por relatar algo tão cruel da história da humanidade desumana.

    Beijos/Xoxo.

    Anete Oliveira
    Blog Coisitas e Coisinhas
    Fan Page Coisitas e Coisinhas
    Instagram

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito de livros que de uma maneira ou outra nos ajudam a compreender certo momento da história mundial. Gostei de saber que vai sair nas telonas também. Tenha um dia abençoado, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    paisagemdejanela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Luli!
    Ainda não conhecia esse livro,parece ser bem intenso e emocionante.Amo os livros que falam sobre a segunda guerra mundial,mesmo tendo sido um capítulo triste da nossa história,ter relatos sobre ela e falar sobre é uma maneira de ficar de lição e reflexão pra que esses atos não tornem a acontecer.
    Sério que vai sair filme?Quero ver!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Que história linda, esse livro é maravilho, que casal bacana abrigou centenas de judeus, realmente é um ato de coragem, ainda não li o livro mas se ir pras telas vou querer assistir, bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderExcluir
  8. Que história linda, esse livro é maravilho, que casal bacana abrigou centenas de judeus, realmente é um ato de coragem, ainda não li o livro mas se ir pras telas vou querer assistir, bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderExcluir
  9. Nossa realmente a história do livro é linda e o livro com certeza deve ser maravilhoso.

    Beijinhosss ♥
    Blog Resenhas da Pâm

    ResponderExcluir
  10. Oi, Luli!

    Eu também amo café! Acho que já contei que até meu TCC foi sobre café, né?! hohoho! Sou coffee lover assumida! ;)

    Outro livro que não conhecia. Eu gosto quando a história trata de temas nazistas! Interessante ser uma visão de uma pessoa comum. Acredito que isso faz com que o tema fique mais humanizado! E talvez um pouco mais leve... Fiquei curiosa! Quero ler e assistir quando for lançado.

    Ótima terça!

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde, minha linda Luli!
    Cheguei na hora do lanche, vim tomar um cafezinho contigo com uma boa prosa! ☕☕
    Adorei a resenha amiga, é um livro emocionante!

    Abençoada semana junto a sua família!
    Bjoos no seu ♥

    ResponderExcluir
  12. Oi Luli, bt!
    Pela resenha já me apaixonei pelo livro. Olha que nessa fase de gripe ele ia ser meu companheiro de cama. Amiga, as prosas continuam e o cafezinho também, as marmitas é que estão de licença kk.
    Bjssssss

    ResponderExcluir
  13. Oi! Amo livros com essa temática. Dica anotada, Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
  14. Confesso que tudo que envolve Hitler ou até que mencione o nome dele, desperta meu interesse. Sempre fiquei tentado entende-lo. Gostei dada a premissa, e imagino como seria ver todos os dias o despertar dos animais. ótima resenha flor bjs

    Taynara Mello
    http://www.indicarlivros.com/

    ResponderExcluir
  15. Wow, que trama incrível, fiquei emocionada só em ler sua resenha. Arrasou!

    Beijoooo

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem?
    Já tive contato com essa obra, e concordo com inúmeros pontos positivos que citou no decorrer da resenha. Lembro que me emocionei bastante com a história, além de passar uma mensagem linda.

    Até mais. http://www.estupefaca.com/

    ResponderExcluir
  17. Não conhecia a obra, parece ser triste mas muito marcante

    Beijos!

    EsmaltadasdaPatyDomingues

    ResponderExcluir
  18. Oi Luli, bt!
    Estou passando p/desejar uma feliz e abençoada Páscoa p/vcs!
    Amiga, com direito a muitos ovinhos e chocolatinhos, pq você sabe que nesse período não vai ter marmitinha né? kkk
    Bjssssssss

    ResponderExcluir
  19. Oi Luli, eu sempre gosto de ler e ver assuntos relacionados a Segunda Guerra, não tinha conhecimento do livro e achei bem interessante, principalmente quando vc diz que é diferente a forma como e narrada a invasão do ponto de vista de quem sofreu, com certeza irei ao cinema ver *_*

    bjus

    Ari ♥
    De volta ao retrô

    ResponderExcluir
  20. Oi, Luli! Retribuindo as visitas aqui. Nossa! Não sabia que " the zookeeper's wife" era inspirado nesse livro. Me interessei muito!!! Bjosssss

    ResponderExcluir
  21. Nossa...esse livro deve ser muito emocinante. Sabe, o Nazismo foi uma época que marcou realmente a história, pena que nao para o bem. Difícil acreditar que ainda há pessoas que seguem a mesma regra ideologica daquela época. Deve ser um livro muito bom, ainda mais por causa dos animais.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir