Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



terça-feira, 17 de setembro de 2013

O que é Graphic Novel ???????

                                                                                 




A Graphic Novel ou, traduzindo para o português, o romance gráfico, é uma história produzida em quadrinhos, estilo que por sua vez capta personagens flagrados em atuações e atitudes preservadas por alguns momentos no que habitualmente se define como quadros particulares dispostos seqüencialmente. Neles as falas são inseridas em balões de diálogo.
Geralmente considera-se Graphic Novel uma história mais longa e elaborada, semelhante às obras literárias compostas no gênero conhecido como prosa ou romance. Embora os tradicionais gibis consumidos principalmente pelas crianças sejam também insistentemente rotulados de histórias em quadrinhos, este formato se caracteriza hoje por abrigar igualmente narrativas mais densas e complexas.
Há uma incerteza quanto à origem da expressão Graphic Novel, mas muitos consideram que talvez este termo tenha surgido com a intenção de transcender as reservas que ainda envolvem a denominação ‘histórias em quadrinhos’, comumente associada às criações  que embalam o público infantil. Para que a narrativa neste formato seja compreendida, é preciso recorrer à associação entre o discurso e as imagens, assim é possível absorver as manifestações dinâmicas, toda evolução através da imagem do enredo.
Cabem neste estilo tanto as obras já lançadas em quadrinhos regularmente impressos, quanto criações direcionadas para a publicação de um livro.
Geralmente estas histórias são concebidas para atingir o universo adulto.
Esta expressão disseminou-se após ter sido empregada por Will Eisner na capa de sua produção Um Contrato com Deus, (A Contract with God), um trabalho  complexo, focado na vida de pessoas comuns no mundo real.
O selo de "graphic novel" foi colocado na intenção de distingui-lo do formato de quadrinhos tradicional. Eisner citou como inspiração os livros de Lynd Ward, que produzia romances completos em xilogravura. O sucesso comercial de Um Contrato com Deus ajudou a estabilizar o termo "graphic novel", e muitas fontes creditam erroneamente Eisner a ser o primeiro a usá-lo (de fato, foi Richard Kile quem originalmente usou o termo em algumas publicações dos anos 1960).
Algumas narrativas criadas para o formato dos quadrinhos parecem ser ancestrais deste estilo, entre elas as célebres séries Tintin, Asterix e Spirou, que se celebrizaram também nos anos 60. Além de Will Eisner, outro nome importante na história da Graphic Novel é o de Eddie Campbell, que ilustrou a obra Do Inferno, a qual retrata os crimes cometidos por um dos criminosos mais famosos do Ocidente, Jack, o Estripador, em fins do século XIX, na capital inglesa. Ele caracteriza esta forma de expressão como uma linhagem artística associada aos quadrinhos, uma escola que abriga artistas com concepções e propósitos comuns, não como uma dimensão autônoma.
O significado original do termo era aplicado para histórias fechadas, nos últimos anos o termo tem sido usado como sinônimo de trade paperback, as edições encadernadas em formato de livros de história seriadas em revistas.
Em inglês o termo paperback tem dois significado, podem designar tanto livros de bolso, quanto o tipo de encadernação (brochura) usada nesses livros. O termo Trade paperback é o utilizado para livros possuem o mesmo formato de livros capa dura (hard cover em inglês) e uma capa mole, similar a dos livros de bolso (soft cover em inglês), com isso essa edições são mais baratas que os livros de capa dura .
O termo Trade paperback é o utilizado também em outros idiomas para designar edições encadernadas de histórias em quadrinhos estadunidenses em formato de livro.
 Trade paperbacks costumam reunir arcos (ou minisséries) de história em quadrinhos ou uma série de histórias independentes publicadas na mesma revista.

Vamos dar uma olhadinha básica na nossa coluna A Arte das Capas que fala sobre essa arte ????

Ao contrário das produções culturais em massa que prevalecem no gênero dos quadrinhos, visando apenas entreter, as narrativas compostas no estilo Graphic Novel privilegiam os aspectos qualitativos e buscam uma excelência que lhes permitam ocupar um patamar equivalente ao das produções literárias e cinematográficas de qualidade.
O autor e o ilustrador da Graphic Novel têm como intenção serem contadores de histórias, independente dos parâmetros que regem o mercado. Eles buscam sempre a inventividade, a renovação da criatividade, mesmo cientes de que não lucrarão muito com sua obra, já que ela se dirige a um público seleto. É possível encontrar, hoje, nas bancas e também nas livrarias, produções variadas e de extrema qualidade. Os fãs deste estilo, a depender da safra atual, com certeza não se sentirão carentes de boas histórias.

Olha só os exemplos super bem-sucedidos que sugerimos a seguir:
Os 300 de Esparta de  Frank Miller
A Arte Suprema  de Rui Zink e António Jorge Gonçalves
Bone  de Jeff Smith
Um Contrato com Deus  de  Will Eisner
The Dark Knight Returns de  Frank Miller e Lynn Varley
A Saga do Tio Patinhas de Don rosa
Livros da Magia de Neil Gaiman
Sandman de Neil Gaiman


Abraços Literários e até a próxima.


Um comentário:

  1. Oi!
    Graphic Novel tenho os de Neil Gaiman.
    Vale muito a pena, se eu pudesse teria todos, queria ter todos os livros do mundo, todo o dinheiro do mundo para comprá-los e todo o tempo do mundo para lê-los ;)
    Bjs

    ResponderExcluir