Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



sábado, 21 de junho de 2014

Caneca Literária #12: Jardim de Inverno de Kristin Hanna

                                                                           
       

Esse é o livro que escolhemos para a nossa caneca literária de junho, nesse dia 21,  que marca o início do inverno.
Pura emoção!

                                                                             



Meredith e Nina Whiston são tão diferentes quanto duas irmãs podem ser. Uma ficou em casa para cuidar dos filhos e da família. A outra seguiu seus sonhos e viajou o mundo para tornar-se uma fotojornalista famosa. No entanto, com a doença de seu amado pai, as irmãs encontram-se novamente, agora ao lado de sua fria mãe, Anya, que, mesmo nesta situação, não consegue oferecer qualquer conforto às filhas. A verdade é que Anya tem um motivo muito forte para ser assim distante: uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte esta extraordinária história. Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família… E mudará tudo o que elas pensam que são.
“Difícil não rir um tanto e chorar ainda mais com a história de mãe e filhas que se descobrem no último momento.” – Publishers Weekly. A história que sua mãe conta é como nenhuma outra já ouvida por elas antes — uma história de amor cativante e misteriosa que dura mais de sessenta anos e parte da Leningrado congelada e devastada pela guerra até o Alasca, nos dias atuais. A obsessão de Nina por descobrir a verdade as levará a uma inesperada jornada ao passado de sua mãe, onde descobrirão um segredo tão chocante, que abala a estrutura da família e muda quem elas acreditam ser.

O livro começa em 1972 com Meredith e Nina ainda crianças encenando uma peça de teatro baseada em uma das muitas histórias que a mãe lhes conta, com o único intuito de agradá-la, mas Anya reage de modo inesperado e cruel.
Após esse episódio, as meninas passam a evitar qualquer tipo de envolvimento emocional com a sua mãe, passam a conviver sob o mesmo teto como estranhas. 

"Mamãe havia mudado naquele dia, e Meredith também. Fiel à sua palavra, a irmã nunca mais ouvira os contos de fadas da mãe, mas essa fora uma promessa fácil de cumprir, já que mamãe jamais voltara a contar uma história.”  (p. 55)
O momento dos "Contos de fadas” era o único momento em que Anya demonstrava algum tipo de calor humano com relação às filhas.

A história dá um pulo para o ano de 2000 e observamos uma Meredith mãe de família, casada com o melhor amigo Jeff. Com medo de se tornar fria emocionalmente como sua mãe, ela se transforma numa dedicada e extremada mãe para Maddy e Jillian, tão dedicada que abriu mão da própria vida e de seu relacionamento.
Já Nina tornou-se uma fotógrafa internacional. Capaz de captar através de suas lentes momentos preciosos,  foge de relacionamentos sérios, mas no momento está saindo com Danny, um atraente irlandês de 39 anos que é correspondente de guerra.
Vivendo em mundos diferentes, as duas vão ter que se reunir após vários anos quando  seu pai fica doente. Cumprindo uma promessa feita a ele, as garotas vão ter que se unirem, abrandarem as mágoas do passado, para descobrirem o que realmente aconteceu com a sua mãe.
Anya é uma personagem surpreendente. Conforme vamos conhecendo sua verdadeira história, nos deixamos envolver e vivemos com ela  através de suas lembranças os horrores da guerra, as perdas, a insanidade e é impossível não se emocionar. Ela é uma sobrevivente. Absolutamente tocante.

A capa é linda, delicada e está totalmente relacionada com a trama, inclusive a borboleta. O livro certamente se tornou um dos meus favoritos.

"Pelo que pareceu uma eternidade, nenhuma das duas disse nada. Por fim, mamãe falou:
- Seu pai pensa que não posso lidar com a morte dele.
- E você pode? - Nina perguntou com simplicidade.
- Você ficaria surpresa com o que o coração humano pode suportar.”

Em “Jardim de Inverno”, Kristin Hanna nos apresenta a uma história emocionante do inicio ao fim. Já nas primeiras páginas o jeito de narrar da autora chama a atenção, é uma escrita doce, que transmite ao leitor todas as sensações referidas no livro. Conseguimos sentir as emoções dos personagens. Hannah é uma autora que não tem pressa ao escrever, e constrói seus personagens de forma única.
Meredith e Nina, apresentam personalidades distintas. Anya num primeiro momento se mostra como uma mulher fria emocionalmente, entretanto, ela tem uma história de vida. O único momento que ela chegava a transparecer algum carinho com Nina e Mere era quando lhe contava contos de fadas, esse era o momento que as filhas sentiam a ternura na voz de sua mãe. Mas esse conto de fadas não estava completo, Anya ainda não o contou por inteiro. E quando o marido falece, ele a faz prometer que contará toda a história às filhas.
Assim através desse conto, ela revive a própria vida. Somos levados à Segunda Guerra Mundial, e vamos conhecer a história de uma mulher que foi obrigada a fazer muitas escolhas, uma mais difícil que a outra.
A autora criou uma obra que mescla contos de fadas, segunda guerra, personagens marcantes, envolventes, reais, que carregam suas cruzes, e que possibilitam a identificação do leitor com eles. 
A narrativa viaja entre o passado e presente, e na trama  uma história dentro da outra se mescla. 
É admirável a forma como esse livro foi escrito, e ainda nos presenteia com um epílogo surpreendente.
É um livro para se emocionar e para aprender. Aprender que não há amor maior que o de uma mãe por um filho e que o perdão (inclusive  perdoar a si mesmo) é libertador.


Abraços literários e até a próxima.



Um comentário:

  1. Olá tudo bem?
    Excelente resenha, passou muitíssimo bem a essência do livro que é esplêndido, também para mim, um dos melhores que já li.
    Escolha mais do que acertada para o mês de junho.
    ; *

    ResponderExcluir