Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



quinta-feira, 24 de julho de 2014

A Arte das Capas #10

                                                                                  



A capa de livro é a identidade visual de uma obra literária. Uma nobre embalagem, que desperta os sentidos, desejos, sonhos e emoções, e tem muita história para contar...
A Arte das Capas é a coluna em que mostramos  livros e suas capas.
Bacana pra que vocês conheçam novos livros e novas capas também, já que temos  certeza que muita gente, assim como nós, adora capas de livros!
Nesse mês de julho,  férias de inverno, nós trazemos esse que é um livro encantador e absolutamente recomendado, Stardust de Neil Gaiman.


Você é capaz de reconhecer um conto, romance ou roteiro de Neil Gaiman, mesmo sem saber previamente que é ele o autor, pela marca registrada de todas as suas narrativas – o tom onírico, que está sempre balançando entre o sonho e o pesadelo, entre o belo e o terrível.
As histórias de Gaiman guardam, todas elas a beleza de Faërie - a descrição que Tolkien faz das histórias de fadas- “uma beleza que é um encantamento, e um perigo sempre presente; alegrias e tristezas agudas como espadas”.
Talvez muitos de vocês já conheçam, o enredo dessa história, uma vez que ela virou filme em 2007, com Claire Danes no papel de Yvaine, além de figuras como Michelle Pfeiffer e Robert De Niro.
Stardust trata da jornada do jovem Tristan Thorn, atrás de uma Estrela.
E o Muro, que divide a passagem entre o nosso mundo... e Faërie.
Durante  séculos, o  povo da vila do Muro guardou aquela passagem, uma espécie de portal que divide a Terra Encantada onde existem castelos, elfos, fadas, bruxas e diversos outros seres encantados, além de muitos, muitos perigos!, impedindo que qualquer pessoa passasse de um lado para outro, exceto por um dia, a cada nove anos, quando ocorre a Feira.
E, o princípio do livro, trata exatamente desse evento, acompamos Dunstan, pai de Tristan, enquanto ele se diverte na feira e conhece uma estranha garota.
Nove meses depois, um embrulho aparece surpreendentemente a sua porta...
E é assim que conhecemos Tristan.
A história então dá um salto temporal – encontramos Tristan com dezessete anos, apaixonado por Victoria Forster, a garota mais bonita do vilarejo. Ele a está acompanhando até sua casa, tentando encontrar uma maneira de roubar-lhe um beijo quando os dois vêem uma estrela cadente.
Tristan promete qualquer coisa pelo beijo de Victoria, indicando a vila do Muro abaixo dele e o céu noturno acima deles. Nesse instante, na constelação de Órion,  uma estrela estremeceu, brilhou e caiu.

“Eu trarei aquela estrela cadente.”

Diante dessa promessa, Victoria cede – se ele lhe trouxer a estrela cadente, ela não só lhe dará o beijo prometido como se casará com ele. Só que a estrela caiu do outro lado do Muro ...
O que ele não esperava, contudo, em sua jornada, era encontrar no lugar de uma rocha fumegante, uma garota de cabelos tão claros quase brancos e que brilhava no escuro: Yvaine, é a estrela cadente.
Obviamente levar Yvaine para Victoria não será uma missão fácil. Para início de conversa, Yvaine não está feliz por ter sido jogada do céu para a terra; tampouco de servir de presente de casamento para uma garota humana. No meio da história, temos ainda os príncipes de Stormhold, um dos reinos de Faërie, atrás da jóia que lhes fará rei e uma Bruxa-Rainha disposta a arrancar o coração da estrela a fim de recuperar sua juventude.
Ao longo da narrativa, Yvaine vai suavizando com Tristan, ao mesmo tempo em que o rapaz amadurece ao longo de suas andanças por Faërie, de volta para a Vila do Muro e essa evolução será primordial para o papel que assumirá mais tarde.
O filme faz uma boa adaptação da história do livro, só que ele segue mais a linha Disney de Contos-de-Fadas, com  final felizes para sempre.o que funciona muitíssimo bem nas telonas.
O final do livro de Stardust rende uma reflexão interessante sobre eternidade e mortalidade.
Curiosidade interessante: Gaiman usa como introdução ao livro um poema de Jonh Donne, chamado Vá e agarra a estrela cadente; poema esse que serve como base para a maldição de Howl no O Castelo Animado de Diana Wynne Jones.

Conheci Stardust quando assisti ao filme, e posso dizer com a mais absoluta certeza de que foi amor à primeira vista. Tudo o que eu mais gosto em um filme: fantasia, magia, humor e suspense, reunido num só lugar. 
Stardust é um conto de fadas para adultos, e é isso que o torna tão original. As ilustrações são inacreditáveis e como o próprio Neil Gaiman diz: “Charles Vess (o ilustrador) é o único dos nossos tempos que se aproxima dos grandes pintores de fadas do período vitoriano”.
O livro é mágico. E mágico no sentido literal da palavra: ele te encanta, enlaça em um feitiço e não solta mais. É como se entre você e ele estivesse ligada uma corrente feita de pelo de gato, escama de peixe e luar, corrente igual à usada tantas vezes no livro. Possivelmente quando você o abrir, não conseguirá parar de ler.
Uma história tão incrível quanto à desse livro é encantadoramente inesquecível.

 Agora queremos saber ... qual capa VCS  elegem como a favorita ????



Abraços Literários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário