Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



domingo, 14 de dezembro de 2014

Especial Natal: Clássicos da Literatura

                                                                            


Em alguns dias já é Natal e nós fizemos um post com alguns dos clássicos da literatura universal para VCS se deliciarem entre páginas encantadas.
Uma viagem por capas, capítulos, parágrafos e linhas para VCS entrarem no clima natalino em grande estilo!


                                                                        



“Um Conto de Natal” do britânico Charles Dickens (1812-1870) é uma das histórias mais famosas da literatura ocidental. O enredo nos traz a figura de Ebenezer Scrooge, um avarento homem de negócios londrino, rabugento e solitário, que não demonstra nadinha de bons sentimentos e compaixão para com os outros. Scrooge não deixa que ninguém se aproxime e rompa a sua dura couraça, preocupando-se apenas com os negócios, o dinheiro e os lucros. No anoitecer frio da véspera natalina, ele é visitado pelo fantasma de Jacob Marley (seu antigo sócio comercial, morto há sete anos) que o repreende e anuncia que Scrooge se prepare, pois será visitado por três espectros, que representam seu passado, presente e futuro. A história da redenção do velho Scrooge vêm comovendo adultos e crianças de todas as épocas.
A história foi escrita entre outubro e novembro de 1843, para ser publicada em capítulos de jornal, com ilustrações de John Leech, em dezembro do mesmo ano.
O enredo é familiar a todos: foi diversas vezes adaptado para o cinema, TV e teatro, além de  ter sido transformado inúmeras vezes em desenho animado e HQs.
A figura e o personagem de Scrooge teve vários descendentes literários, um dos mais célebres é o Tio Patinhas de Walt Disney: “Uncle Scrooge McDuck” em inglês.


                                                                       



Quebra Nozes  do grande escritor de fantasia e figura central no Romantismo Alemão, Ernest Theodor Amadeus Hoffmann (1776-1822) criou um extraordinário mundo de fantasia, poesia e sobrenatural onde personagens inesquecíveis ganham vida em imaginativos contos que se movem entre a firmeza da realidade e a ambiguidade, mistério e romance. «O Quebra-Nozes» (que deu origem ao balé de Tchaikovsky) é considerado o seu melhor conto e é uma encantadora história de Natal que se tornou tradição nessa época do ano, quer pelo bailado, quer por cinema, televisão ou teatro, incluindo versões para os pequenos. Personagens inesquecíveis, como o Padrinho Drosselmeier, o valente Quebra-Nozes ou o malévolo Rei-Rato, povoam o real e o maravilhoso e encantam leitores há muitas gerações.
A pequena Marie se vê às voltas com estranhos acontecimentos desde que ganhou de Natal um curioso bonequinho quebra-nozes. Os objetos ao seu redor parecem ganhar vida: as bonecas, os soldadinhos de chumbo de seu irmão... até que surge uma horripilante criatura para estragar tudo. Um mundo encantado está em perigo e, para piorar, ninguém mais acredita nela. Uma história repleta das coisas mais esplêndidas e maravilhosas!

 
                                                                        



O Natal de Poirot de  Agatha Christie tem como sinopse que na Véspera de Nata a reunião da família Lee é arruinada pelo barulho ensurdecedor de móveis sendo destroçados, seguido de um grito agudo e sofrido. No andar de cima, o tirânico Simeon Lee está morto, numa poça de sangue, com a garganta degolada. Mas quando Hercule Poirot, que está no vilarejo para passar o Natal com um amigo, se oferece para ajudar, depara-se com uma atmosfera não de luto, mas de suspeitas mútuas. Parece que todos tinham suas próprias razões para detestar o velho.
A história gira em torno do assassinato de Simon Lee na véspera do natal.
Sr. Lee é um velho arrogante, tirânico e muito desagradável,  que para o natal daquele ano quis que a família toda se reunisse.. Entretanto, na véspera do natal  encontram ele morto.
Logo no começo do livro conhecemos cada um dos seus filhos. Mas, além deles, outros personagens também participaram dessa reunião familiar como Pilar, filha de Jennifer Lee (filha de Simon) que está morta, e Stephen Farr, filho de um amigo de Sr. Lee.
Novamente Agatha surpreende em uma trama com o núcleo familiar aonde cada um tem um motivo para odiar a vítima. Ela consegue manipular a mente do leitor, para que em uma hora ele ache que achou o assassino e no outro ver que pode ser outro suspeito.  A cada página um segredo é revelado ou uma mentira descoberta fazendo com que a pessoa devore a história.
O final surpreendente faz desse um livro recomendado não só para quem gosta de romance policial, mas para qualquer um que queira ler algo cativante. O Natal de Poirot é mais uma amostra da genialidade de Agatha Christie. 


                                                                        



O Pinheirinho de Natal publicado pela primeira vez na Dinamarca em 1844, este clássico conto de Natal, de Hans Christian Andersen, chega agora ao público brasileiro recontado por Tatiana Belinky.
Cercado por árvores altas e esplendorosas em meio à floresta, um pinheirinho passa o tempo todo sonhando em crescer e ser tão majestoso quanto suas companheiras. Ao saber que muitas delas eram derrubadas para virarem árvores de Natal, este passa a ser o seu maior desejo. Mas, quando ele finalmente se realiza, o pinheirinho acaba aprendendo uma inesperada lição. O livro conta a história de um Pinheirinho que estava sempre insatisfeito com a sua vida e ensina aos pequenos leitores que devemos aproveitar mais o dia de hoje. Também é um alerta ecológico nesses tempos cinzentos e com pouco verde em que vivemos.



Abraços Literários e até a próxima..


Nenhum comentário:

Postar um comentário