Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



domingo, 29 de julho de 2018

A História de Malikah-


                                                                             


A História de Malikah, personagem de destaque de O Amor nos Tempos do Ouro, é o segundo livro da duologia escrita por Marina Carvalho.

Sinopse: Malikah conheceu muito cedo a crueldade de que o ser humano é capaz. Escravizada e trazida ainda criança da África ao Brasil, sofreu as mais diversas formas de violência, especialmente depois de ter engravidado de Henrique, o filho do dono da fazenda onde trabalhava.
Estar grávida de um de seus senhores era uma afronta aos costumes da época, por isso Malikah foi duramente castigada e quase morta. Ela e seu bebê só conseguiram escapar com a ajuda de Cécile e Fernão, que lhes deram abrigo na Quinta Dona Regina, lugar onde todos, brancos e negros, viviam em liberdade.
Porém, Henrique arrependido por não ter protegido sua amada e tentando se aproximar de Hasan está sempre por perto.
Será possível perdoar alguém que representa tantos anos de injustiça e sofrimento?

 Ainda menina, Malikah chegou à Fazenda Real, de Euclides de Andrade. Sua mãe Adana foi ajudar nos serviços da casa-grande e Malikah ficou com os demais escravos na senzala.
Sozinha e desprotegida foi obrigada a encarar a realidade do jeito que era possível e cresceu sem entender o porquê de seu povo sofrer tantos maus tratos.
Em meio ao sofrimento encontrou um amigo por quem anos depois se apaixonou: Henrique, filho do dono da fazenda.
Com um filho dessa relação Malikah conta com a ajuda de seus grandes amigos, Cécile e Fernão, para fugir da Fazenda Real e começar uma vida nova.
Mas mesmo após a fuga precisa aceitar a presença de Henrique que se mostra decidido a recuperar a confiança de sua amada e a conquistar o amor de seu filho. 

Depois de O Amor Nos Tempos do Ouro, Marina Carvalho traz outro romance histórico ambientado no Brasil.
Aqui nossa protagonista é uma escrava africana que precisa de muitas palavras para defini-la: guerreira, sábia, amiga, fiel, protetora e inspiradora.
Uma mulher que sofreu como muitos, mas agiu como poucos.
Mesmo com tanta dificuldade que enfrentou, não se abateu e lutou por tudo o que acreditava.
Ao ser abandonada por Henrique, por uma artimanha do pai dele, Malikah só quer dar um futuro melhor para o filhinho, Hasan. Magoada, e mesmo ainda amando Henrique, acredita que não conseguirá aceitá-lo de volta. Henrique por sua vez está decidido retomar o relacionamento. Percebeu que cometeu um erro e está decidido a recuperar a confiança de Malikah que vai viver um período dividida entre ouvir o coração ou deixar que a mágoa prevaleça.
Além disso, ainda tem de conviver com a sombra de um passado que insiste em incomodar: Euclides da Cunha, seu algoz.
O Henrique por sua vez é um personagem interessante, ele não é um mocinho convencional, não é perfeito, errou feio, mas foi capaz de se redimir e fazer de tudo para não perder seu amor de uma vez por todas. Não impondo sua presença, mas demonstrando com atitudes que não era mais um filho dominado pelo pai e que poderia fazer Malikah feliz.

Aqui a autora acertou a mão, nos presenteando com uma belíssima história onde apresenta a força da mulher, as nuances de uma grande amizade, o amor incondicional de uma mãe por seu filho e o que é preciso para fazer prevalecer o amor.
As personagens femininas demonstram força mesmo sendo todas as circunstâncias desfavoráveis e todos sendo contra, e isso em uma época em que as mulheres quase não tinham voz e as tradições favoreciam os homens.
A escrita de Marina foi fluída e a leitura rápida proporcionou momentos impactantes, emocionantes, envolventes e instigantes.
Nessa obra a pesquisa histórica, ao contrário do primeiro livro, foi na medida exata, o conhecimento das crenças e costumes do povo africano por exemplo, foi enriquecedor abrilhantando a narrativa e tornando-a apaixonante.

Gostei desses romances históricos nacionais e achei importante que a autora mesmo desenvolvendo uma temática obviamente romântica, não ignorou a realidade da época, marcada pela pobreza, opressão e escravidão, mas com uma escrita sensível e cativante.

Abraços Literários e até a próxima.



15 comentários:

  1. nao conhecia. bonita capa. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Oi Lulyyy, sua linda. Já vi esse livro por aí em algum lugar, só não sabia que era assim tão lindooo. Já me interessei, pois eu adorava dar aula sobre História da África.
    Bjus saudades de tu.

    ResponderExcluir
  3. OBAAA, mais resenha da Marina Carvalho!
    Adorooooo, estou doida para ler esses livros, Luli.
    Tomara que consiga comprá-los em promoção na Bienal.
    Beeeeijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Que incrível Lulii! Achei o livro lindo e nunca vi uma sinopse assim e achei a história muito forte (ela sofreu tanto :/). Como você elogiou o livro e a leitura fiquei interessada haha! Não li o primeiro, então penso ser uma boa ideia.

    Beijão! :)

    https://www.simplesmentecriativa.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Luli!
    Um romance histórico pelo ponto de vista da escrava.....óbvio que a história tem tudo pra ser emocionante.
    Não sei se vou ler essa duologia da Marina simplesmente porque tô navegando nessa vibe de romances históricos agora,mas é sempre bom ver uma autora nacional apostando no gênero.
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Luli, também não conhecia esse kkkkkk. Mas adorei sua resenha, esse livro me interessou bastante!
    Boa semana! ^^

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  7. Luli, quanto tempo não passava aqui! Achei muito legal o livro trazer a trama de uma menina escravizada, que pode retratar tantas histórias reais que aconteceram em nosso país. Ótima indicação. Tenha um ótimo dia, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    www.paisagemdejanela.com

    ResponderExcluir
  8. Que resenha maravilhosa, Luli. Essa história deve ser forte, emocionante e cheia de ensinamentos. Já quero conhecer!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  9. parece ser ótimo! :D
    gosto de histórias que contam um pouco da realidade, mesmo que de muito tempo atrás!

    xoxo
    Guria do Século Passado

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia o livro, mas a história parece prender bastante. Poderia até ser um livro abordado em escolas (nunca vi esse livro nas escolas que estudei) uma ótima temática.

    Blog Covil Dourado | Facebook

    ResponderExcluir

  11. Oi Luly querida,

    Não conhecia esse livro, e fiquei muito interessada em ler ele.
    Acredito que o amor passar por cima de obstáculos e a melhor forma de perdoar é amar acima de todas as coisas.
    Mas Malikah deve ter sofrido demais, o coração partido,com um filho para criar.
    Fiquei aqui torcendo para que ela tenha perdoado Henrique apesar de todos os erros.
    Vou procurar esse livro e colocar na minha lista de livros para ler antes de morrer.


    Beijos,

    Amanda

    www.depoisderoma.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Não conheço o livro e tenho lido bem lentamente tanto a Veja como o Jornal Literário mensal Rascunho, que assino.
    Continuo com os problemas no Condomínio por conta da "maldita do 12". É como se tivesse pisando em ovos, quando a vontade é jogar os ovos(podres) na porta da maldita.
    Essa autora, nem conheço.
    Mas vc trabalha com livros e deve conhecer muito de novos autores.

    Vc tem razão quando diz que no filme "Dunkerk" a gente se sente aprisionado como eles (terra, ar).
    Ainda não apaguei a gravação, na esperança de rever trechos do filme.

    ResponderExcluir
  13. gente essa historia parece ser mesmo interessante e tmbm mostra toda a luta dela e o sofrimento dela. Adorei a indicação do livro, é muito interessante. bjs bjs
    https://beperes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Não conhecia e a história parece ótima, mostrando bem a realidade que muitas mulheres infelizmente enfrentaram.

    Beijos/Kisses.

    Anete Oliveira
    Blog Coisitas e Coisinhas
    Fanpage
    Instagram

    ResponderExcluir
  15. Oie Luli, só de ver a capa me interessei pelo livro, eu gosto de fazer leituras sobre mulheres negras, e vejo que a personagem tem um empoderamento muito grande, apesar das condições da época em que a trama se passa. Quero ler essas histórias sim ou com certeza? Ainda mais depois de uma resenha tão cativante como a sua. Amei!

    bjs

    Ariadne ♥
    www.devoltaaoretro.com.br

    ResponderExcluir