Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Indicações ao Oscar 2019, pra quem vai a sua torcida?


                                                                                 

Os filmes “Roma” do diretor mexicano Alfonso Cuáron, e “A Favorita” do grego Yorgos Lanthimos, dominam as indicações ao Oscar, com 10 menções cada um, incluindo o de melhor filme. Os dois grandes indicados deste ano são ambientados em cenários específicos e em outras épocas – um casarão na capital do México nos anos 1970, no caso de Roma, e a corte inglesa no século 18, em A Favorita.

A cerimônia que será no dia 24 de fevereiro tem dois feitos inéditos: A indicação de “Pantera Negra”  à estatueta de melhor filme (é a primeira vez que um filme de super-herói é indicado na categoria deixando sua marca na história da Academia e da Marvel) e mais 7 estatuetas, e é a primeira vez que a Netflix tem uma indicação a melhor filme, graças a “Roma”. Esse fato dá o status que faltava e equipara a plataforma com os estúdios tradicionais
A Netflix comparecerá à cerimônia ainda com “A Balada de Buster Scruggs”, obra dos irmãos Coen que surpreendeu e levou 3 indicações: roteiro Adaptado, figurino e canção original.

A 91ª edição do Oscar também registra uma marca para os cineastas “não” americanos, que neste ano tomaram a frente e despontaram nas principais categorias, em direção, por exemplo, só Spike Lee (Infiltrado na Klan) e Adam McKay (Vice) são americanos.

Por outro lado, chamou a atenção de forma negativa a falta de indicação a mulheres na categoria direção e o Brasil que ficou de fora, já que o país tinha chance de ser indicado na categoria de animação com “Tito e os Pássaros”.
A Academia que chegou anunciar que as categorias de fotografia, edição, curta de animação e maquiagem seriam revelados durante os intervalos, sofreu duras críticas e voltou atrás na decisão.

Vamos à listinha básica???????


Melhor Filme

    - A Favorita
    - Roma
    - Vice
    - Pantera Negra
    - Green Book - O Guia (Vencedor)
    - Nasce uma Estrela
    - Infiltrado na Klan
    - Bohemian Rhapsody


Melhor Direção

    - Alfonso Cuarón - Roma (Vencedor)
    - Spike Lee (Infiltrado na Klan)
    - Yorgos Lanthimos (A Favorita)
    - Pawel Pawlikowski (Guerra Fria)
    - Adam McKay (Vice)


Melhor Ator

    - Bradley Cooper (Nasce uma Estrela)
    - Rami Malek - Bohemian Rhapsody (Vencedor)
    - Christian Bale (Vice)
    - Willem Dafoe (No Portal da Eternidade)
    - Viggo Mortensen (Green Book - O Guia)


Melhor Atriz

    - Olivia Colman - A Favorita (Vencedora)
    - Lady Gaga (Nasce uma Estrela)
    - Glenn Close (A Esposa)
    - Melissa McCarthy (Poderia Me Perdoar?)
    - Yalitza Aparicio (Roma)


Melhor Ator Coadjuvante

    - Richard E. Grant (Poderia Me Perdoar?)
    - Mahershala Ali - Green Book - O Guia (Vencedor)
    - Adam Driver (Infiltrado na Klan)
    - Sam Elliott (Nasce uma Estrela)
    - Sam Rockwell (Vice)


Melhor Atriz Coadjuvante

    - Regina King - Se a Rua Beale Falasse (Vencedora)
    - Marina de Tavira (Roma)
    - Amy Adams (Vice)
    - Emma Stone (A Favorita)
    - Rachel Weisz (A Favorita)


Melhor Roteiro Original

    - Green Book - O Guia (Vencedor)
    - Roma
    - No Coração das Trevas
    - A Favorita
    - Vice


Melhor Roteiro Adaptado

    - Infiltrado na Klan (Vencedor)
    - A Balada de Buster Scruggs
    - Se a Rua Beale Falasse
    - Nasce uma Estrela
    - Poderia Me Perdoar?



Melhor Animação

    - Homem-Aranha no Aranhaverso (Vencedor)
    - Os Incríveis 2
    - WiFi Ralph
    - Ilha de Cachorros
    - Mirai



Melhor Filme Estrangeiro

    - Roma - México (Vencedor) 
    - Guerra Fria (Polônia)
    - Assunto de Família (Japão)
    - Cafarnaum (Líbano)
    - Nunca Deixe de Lembrar (Alemanha)



Melhor Documentário

    - RBG
    - Minding the Gap
    - Hale County this Morning, the Evening
    - Of Fathers and Sons
    - Free Solo (Vencedor)


Melhor Direção de Arte

    - O Retorno de Mary Poppins
    - A Favorita
    - O Primeiro Homem
    - Roma
    - Pantera Negra (Vencedor)

Melhor Fotografia

    - Roma (Vencedor)
    - Nasce uma Estrela
    - A Favorita
    - Guerra Fria
    - Nunca Deixe de Lembrar


Melhor Figurino

    - A Favorita
    - A Balada de Buster Scruggs
    - Duas Rainhas
    - O Retorno de Mary Poppins
    - Pantera Negra



Melhor Maquiagem

    - Vice (Vencedor)
    - Border
    - Duas Rainhas


Melhor Edição

    - A Favorita
    - Infiltrado na Klan
    - Bohemian Rhapsody (Vencedor)
    - Green Book - O Guia
    - Vice


Melhor Trilha Sonora

    - Se a Rua Beale Falasse
    - Ilha de Cachorros
    - Pantera Negra (Vencedor)
    - O Retorno de Mary Poppins
    - Infiltrado na Klan


Melhor Canção Original

    - "Shallow" - Nasce uma Estrela (Vencedor)
    - "All the Stars" (Pantera Negra)
    - "I'll Fight" (RBG)
    - "The Place Where Los Things Go" (O Retorno de Mary Poppins)
    - "When a Cowboy Trades His Spurs for Wings" (A Balada de Buster Scruggs)


Melhores Efeitos Visuais

    - Vingadores: Guerra Infinita
    - Christopher Robin - Um Reencontro Inesquecível
    - Jogador nº 1
    - O Primeiro Homem (Vencedor)
    - Han Solo: Uma HIstória Star Wars


Melhor Edição de Som

    - O Primeiro Homem
    - Pantera Negra
    - Roma
    - Um Lugar Silencioso
    - Bohemian Rhapsody (Vencedor)


Melhor Mixagem de Som

    - O Primeiro Homem
    - Roma
    - Nasce uma Estrela
    - Bohemian Rhapsody (Vencedor)
    - Pantera Negra


Melhor Curta-Metragem Live Action

    - Marguerite
    - Fauve
    - Mother
    - Skin (Vencedor)
    - Detainment


Melhor Curta-Metragem - Animação
    - Bao (Vencedor)
    - Animal Behavior
    - Late Afternoon
    - Weekends
    - One Small Step


Melhor Curta-Metragem - Documentário

           - End Game  

      - Lifeboat
      - A Night at the Garden
      - Period. End of Sentence (Vencedor)
      - Black Sheep


    E aí pessoas lindas e fofis já escolheram seus favoritos???????
    Conta aí nos comentários :)

    *O texto foi atualizado com os vencedores

    Abraços Literários e até a próxima




    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

    A Guerra que Salvou a Minha Vida


                                                                                    


    Sinopse- Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão caçula sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando.
    Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e Jamie deixarem Londres e partirem em busca de uma vida melhor.

    Vencedor do Newbery Honor Award, primeiro lugar na lista do New York Times e adotado em diversas escolas nos Estados Unidos, A Guera que Salvou a Minha Vida é um livro contado por crianças durante a guerra, assim como O Garoto do Pijama Listrado, Diário de Anne Frank e A Menina que Roubava Livros, mas aqui a premissa é diferente, como o próprio título diz vai retratar a vida de uma menina que teve na guerra uma chance de mudar de vida.

    A autora, Kimberly Bradley vai além de uma “história de superação” apresentando um registro emocional e historicamente preciso sobre a Segunda Guerra, e de como conflitos armados afetam a vida de milhões de inocentes, mesmo longe dos campos de batalha.
    No caso da pequena Ada, a guerra começou dentro de casa sendo discriminada pela própria mãe que a humilhava emocional e psicologicamente, inclusive lhe castigando fisicamente e sendo impedida de sair sendo trancada no quarto ou em um armário escuro e mesmo sem poder andar tinha que cozinhar, limpar e cuidar do irmãozinho.

    Com a Alemanha avançando e a guerra chegando cada vez mais perto de Londres, ela assim como muitas outras crianças, é enviada para o interior para ficarem em segurança e são abrigadas por Susan. O que é um pesadelo para a maioria, para Ada e Jamie é o fim da crueldade e o início de uma relação de amor fraternal com refeições decentes, roupas limpas, cama quentinha, banhos e nada de surras.

    A narrativa crua, sincera e desconcertante mostrada pela ótica de uma garotinha que apesar da pouca idade tem clareza e franqueza impressionantes proporciona uma leitura que mostra o amor como uma força poderosa capaz de transformações inimagináveis. E se por um lado, o livro nos apresenta a desumanidade de que algumas pessoas são capazes, também nos mostra atitudes angelicais de quem quer realmente praticar a bondade.

    Um infantojuvenil, para leitores de todas as idades, onde somos inseridos numa dolorosa história que nos apresenta um recomeço e a cura, que nos leva a torcer, acompanhar e celebrar com Ada cada pequena conquista e a superação do medo, da angústia, da desconfiança, das mágoas e da tristeza.
    Emocionante, real e impactante, vale muito a pena a leitura.

    Abraços Literários e até a próxima.